Fases do luto: quais são e quanto tempo podem durar

Publicado em: 21 de novembro de 2022

Em algum momento da nossa trajetória, todos teremos de vivenciar as fases do luto. Esse processo faz parte do ciclo da vida e, embora seja envolto por sofrimento e diferentes emoções, é necessário.

Esse período pode ser diferente e não linear, ou seja, cada pessoa vive sua própria experiência. Entretanto, sentimentos como raiva e tristeza extrema são comuns, ainda que em diferentes níveis e com durações distintas.

Seja pelo falecimento de uma pessoa querida, de um pet ou mesmo pelo fim de um relacionamento, o luto pode ser desafiador.

Para entender como são as fases do luto e a duração do processo, prossiga com a leitura. Além de adquirir conhecimento, o conteúdo pode ajudar você a compreender melhor a experiência. Vamos lá?

As 5 fases do luto

As 5 fases do luto referem-se ao processo pelo qual a pessoa costuma passar após vivenciar uma perda significativa na vida.

A ideia foi originalmente abordada pela psiquiatra suíça-americana Elisabeth Kübler-Ross, o que possibilitou estruturar a experiência em 5 estágios diferentes. Confira cada uma dessas fases.

1. Negação

Na primeira fase do luto, é comum que o enlutado rejeite a ideia da perda. Embora essa ação não seja racional, acontece como uma forma de proteção da mente contra a dor evidente que a situação causa.

Portanto, há uma tentativa de não aceitar o fato, para encará-lo como um pesadelo ou algo que seria impossível acontecer.

2. Raiva

A negação é substituída por sentimentos de raiva, angústia e culpa. A revolta também é evidente nesse estágio, portanto, é comum que o enlutado faça acusações e procure por culpados.

Comportamentos autodestrutivos também podem aparecer, já que a pessoa está externalizando o seu sofrimento em forma de raiva. Na mente do enlutado, a situação é injusta, e não foram tomadas medidas suficientes para evitar que a perda ocorresse.

3. Barganha ou negociação

O estágio seguinte é marcado por uma resignação voltada à barganha e negociação. Isso significa que a pessoa pode procurar por soluções divinas ou tentar negociar com forças superiores para que a situação seja, de alguma forma, revertida e o sofrimento acabe.

No caso do luto de um fim de um relacionamento, por exemplo, é comum que a pessoa tente retomar o contato e se reaproximar do ex-parceiro.

4. Depressão

O penúltimo estágio é caracterizado pela depressão e pelo sofrimento na forma mais latente. Aqui, a dor é vivenciada constantemente, assim como as lembranças. Por esses motivos, o enlutado tende a se excluir e prefere ficar sozinho.

Perda de apetite e alterações no sono também podem acontecer. Esse momento é necessário, pois o sofrimento precisa ser externalizado. Por outro lado, é preciso ficar atento, pois se essa fase se estender por muito tempo, pode provocar um quadro de depressão maior ou se converter em um trauma.

5. Aceitação

Por fim, o último estágio é marcado pela aceitação, ou seja, o enlutado já consegue assimilar a perda. Embora ainda haja tristeza e sofrimento, agora, é possível prosseguir com a vida e voltar à rotina.

O indivíduo aceita a perda, sem se sentir paralisado e perdido. Podemos entender esse estágio como a cicatrização de uma ferida que já esteve aberta, mas que ainda dói, por vezes.

 Leia mais: Luto patológico

Quanto tempo um luto pode durar?

Não há uma padronização ou uma duração ideal em relação às fases do luto. Cada pessoa tem seu próprio tempo. É possível que para certos indivíduos o processo seja mais suave e curto, enquanto para outros, mais longo e sofrido.

Além disso, as fases do luto podem ocorrer de forma não linear e variarem conforme as experiências, personalidade e histórico do indivíduo.

Independentemente do caso, é preciso estar atento, seja você o enlutado ou a pessoa próxima de alguém que acabou de sofrer com a perda. 

Se perceber que o processo está influenciando a saúde mental, ameaça a integridade física ou está muito longo, procure ajuda médica. Psicólogos e psiquiatras podem ajudar nesse momento tão delicado e cheio de emoções.

Conforme você acabou de ler, vivenciar as fases do luto é fundamental para lidar com a dor da perda. Nesse momento, vale também contar com o apoio de um convênio funerário. Esse serviço se encarrega da maior parte dos trâmites relacionados às dolorosas tarefas da ocorrência, o que pode tornar o processo menos penoso.

Este conteúdo ajudou você? Então, continue acessando o nosso blog para conferir outros materiais como este!

Queremos proporcionar maior tranquilidade aos nossos clientes. Nos comprometemos a auxiliar as pessoas a se planejarem e encontrarem acolhimento e orientação em momentos delicados.

Postagens Relacionadas

Newsletter

Faça a sua inscrição e receba atualizações do nosso blog!

    Categorias

    Materiais Ricos

    Posts recentes