Doença terminal: como ajudar um ente querido nessa fase?

Publicado em: 16 de junho de 2023

Você já teve que lidar com a realidade de uma doença terminal? Esse é um período difícil e doloroso tanto para o paciente quanto para seus entes queridos. O apoio e a compreensão são cruciais durante esse momento, e é importante saber como proceder para ajudar.

Este artigo aborda o tema da doença terminal, explicando o que ela é, por que alguém é caracterizado como um paciente terminal, quais tipos de doenças podem ser consideradas terminais, como ajudar alguém nesse estágio e como é o processo de encarar a morte.

O que é um paciente terminal?

Um paciente terminal é alguém que foi diagnosticado com uma doença incurável que, inevitavelmente, levará à morte. Isso não significa que a morte é iminente em todos os casos, mas sim que não há mais tratamentos disponíveis que possam curar a doença ou parar sua progressão.

Essa condição pode ocorrer devido a várias doenças, incluindo certos tipos de câncer, doenças degenerativas avançadas, entre outras. O tempo que o paciente ainda pode ter de vida varia e depende de vários fatores, incluindo o tipo e o estágio da doença, a idade e a saúde geral do paciente, por exemplo.

Por que o paciente é caracterizado com doença terminal?

A determinação de que uma doença é terminal é baseada em uma série de critérios que consideram as condições pessoais do paciente. Isso pode incluir dados clínicos, resultados de exames laboratoriais, de imagem e funcionais, resultados anatomopatológicos e outros fatores relevantes. O objetivo desses critérios é tornar a avaliação da condição do paciente o mais objetiva e precisa possível.

No entanto, o fato de uma doença ser considerada terminal não significa que não haja mais nada a ser feito. Ao contrário, abre-se uma nova perspectiva de cuidado, focada na qualidade de vida do paciente, e não na cura da doença. Isso é conhecido como cuidados paliativos.

Os cuidados paliativos são uma abordagem multidisciplinar que visa aliviar a dor e o desconforto, garantir que o paciente esteja acompanhado por pessoas que se importam com ele e permitir que ele morra com dignidade. Esse tipo de cuidado é fundamental para pacientes terminais e pode fazer uma grande diferença em sua qualidade de vida nos estágios finais da doença.

Quais são os tipos de doença que podem ser terminais?

Imagem ilustrando uma pessoa na cama de hospital com uma doença terminal.

Existem várias doenças que podem progredir para um estado terminal, ou seja, um estado em que não há mais possibilidade de cura e o foco passa a ser a qualidade de vida do paciente. Algumas das mais comuns incluem:

  • Câncer: o câncer é uma das doenças mais frequentemente associadas ao termo “doença terminal”. Isso ocorre porque, em muitos casos, ele pode ser incurável, especialmente quando detectado em estágios avançados.
  • Doença cardíaca avançada: doenças cardíacas, como insuficiência cardíaca congestiva, podem ser terminais quando os tratamentos já não são eficazes e o coração não consegue mais bombear sangue suficiente para o resto do corpo.
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): é uma doença progressiva e muitas vezes leva a complicações graves (como insuficiência respiratória), que podem ser terminais.
  • Doença renal crônica avançada: quando a função renal declina a um ponto no qual a diálise ou o transplante não são mais opções, a doença renal é considerada terminal.
  • Alzheimer e outras demências: embora essas doenças sejam principalmente do cérebro, elas progridem ao longo do tempo e levam a complicações que eventualmente resultam em uma condição terminal.
  • Doenças neurodegenerativas: doenças como a esclerose lateral amiotrófica (ELA), Parkinson avançado e doença de Huntington podem se tornar terminais à medida que progridem.
  • Doença hepática terminal: cirrose e outras doenças hepáticas se tornam terminais quando o fígado falha.

É importante notar que, embora essas doenças possam se tornar terminais, diversos pacientes com essas condições vivem muitos anos com o tratamento e o manejo adequados dos sintomas.

Como ajudar alguém em fase terminal?

Ajudar alguém em fase terminal requer compaixão, paciência e amor. Não é uma tarefa fácil, mas há várias maneiras de fornecer apoio e assistência. Aqui estão algumas sugestões:

  • Proporcionar conforto físico: a dor e o desconforto são comuns em pacientes terminais. Os cuidados podem incluir o manejo da dor por meio de medicamentos prescritos e terapias alternativas, como massagens leves, uso de travesseiros para suporte e garantir um ambiente confortável e tranquilo.
  • Apoio emocional e psicológico: ouvir é uma das maneiras mais eficazes de fornecer apoio emocional. Tenha uma escuta ativa, permita que a pessoa expresse seus medos e preocupações. Encoraje-a a compartilhar suas memórias e sentimentos. Em alguns casos, a terapia com um profissional de saúde mental também pode ser útil.
  • Assistência prática: isso pode incluir ajudar com tarefas diárias, como alimentação, higiene pessoal, arrumação da casa e transporte para consultas médicas.
  • Apoio espiritual: se o paciente encontrar conforto na fé ou na espiritualidade, isso deve ser apoiado, podendo incluir a leitura de textos sagrados, oração ou a presença de um líder religioso.
  • Fazer planos finais: discussões sobre cuidados paliativos, desejos de fim de vida, planejamento funeral e discussões sobre testamentos vitais ou diretivas antecipadas de vontade podem estar nos planos finais. Embora possa ser uma conversa difícil, é importante saber quais são os desejos do paciente.
  • Cuidados paliativos: esses serviços são projetados para fornecer alívio da dor e do desconforto, bem como apoio emocional para pessoas em fase terminal.

Lembre-se: é igualmente importante que você cuide de si mesmo. Encontre tempo para descansar, relaxar e cuidar das suas próprias necessidades emocionais e físicas. Buscar o suporte de um grupo de apoio ou conselheiro pode ser muito benéfico durante esse período desafiador.

Como é o processo de encarar a morte?

Encarar a morte é um processo profundamente pessoal e único. Alguns podem sentir raiva, enquanto outros podem encontrar aceitação mais rapidamente. A tristeza, o medo e a ansiedade são sentimentos comuns.

O importante é permitir que o paciente e as pessoas ao seu redor vivenciem seus sentimentos sem julgamentos. Profissionais de saúde mental podem ser úteis nesse processo, ajudando o paciente e seus entes queridos a lidarem com a situação.

Concluir uma vida, lidar com uma doença terminal e planejar um funeral são desafios imensos. Por isso, é importante contar com um plano funeral, como o oferecido pela Neo Assistência. Esse serviço é voltado para a organização e o planejamento do funeral, garantindo que tudo ocorra de maneira digna e respeitosa, conforme as últimas vontades da pessoa.

A assistência funeral pode aliviar consideravelmente o estresse e a carga emocional nesse momento tão difícil, permitindo que a família se concentre em prestar homenagem ao ente querido e em lidar com seu luto.

Lidar com uma doença terminal é uma jornada difícil, mas o amor, a compreensão e o apoio podem fazer uma grande diferença. E com a ajuda de um plano funeral confiável, como o da Neo Assistência, você pode ter certeza de que as últimas vontades da pessoa amada serão honradas e respeitadas.

Queremos proporcionar maior tranquilidade aos nossos clientes. Nos comprometemos a auxiliar as pessoas a se planejarem e encontrarem acolhimento e orientação em momentos delicados.

Postagens Relacionadas

Newsletter

Faça a sua inscrição e receba atualizações do nosso blog!

    Categorias

    Materiais Ricos

    Posts recentes